11 de mai de 2005

Então...

... na segunda feira eu voltei lá, naquela sucursal do inferno conforme havia sido orientada pela burrinha.
E qual não foi a minha surpresa quando vi que estava...FECHADO e só voltaria em 23/05!
Mas eu nunca vi filhos mais dedicados e fazer a meiga mãezinha ser lembrada a todo instante...chega a ser comovente.
Já ia começar a praguejar quando um senhor, esse sim, filho de mãe digníssima, me informou que a UNIP também prestava esse serviço à comunidade local, da qual eu faço parte.
Mas deixemos isso um pouco de lado. Quero contar pra vocês como tudo começou.
No longínquo mês de agosto de 2003, eu recebi uma conta de água no valor irrisório de...R$ 1.190,50, equivalentes à 181m³ de consumo. Gente! É água pra caralho! Praticamente um tsunami, uma vez que minha média mensal varia entre 5 ou 6 m³. Isso costuma dar em torno de 20,22 reais no máximo.
Fui lá reclamar, lógico. Como uma casa com 3 pessoas que passam a maior parte do tempo fora pode consumir esse absurdo de água? Mas nem se até a cachorra tomasse banho de chuveiro, escovasse os dentes e cagasse na privada todos os dias alcançaria um consumo desse.
O que aconteceu foi que um gentil funcionário me disse que a leitura estava certa (me lembrem de incluir a mãe dele nas homenagens) e que o máximo que poderia ser feito, seria o parcelamento do débito. Fiz a merda do parcelamento, sob protesto, mas não tive escolha. A primeira parcela deveria ser paga no ato e as restantes chegariam pelo correio.
Na mesma semana fui visitada por funcionários da SABESP, que fizeram vistoria no hidrômetro, etc e tal e depois disso não chegou nenhuma parcela do maldito acordo - o que me levou a crer que eles constataram o erro e eu estava isenta de pagar a tal da conta.
04/04/2005: tocam a campainha e...Surpresa!!!! A SABESP veio CORTAR a minha água por causa da maledeta conta de dois anos atrás.
E cortaram mesmo. Foi aquele circo de quebrar a calçada e tudo.
Voltei na SABESP e lá me disseram que eu não deveria estar reclamando, já que eles me DEIXARAM usar a água por dois anos. Como são bonzinhos...
Tem mais, fui praticamente coagida a fazer novo acordo porque só e somente assim a água seria religada. Não são uns amores?
Fiz novo acordo, paguei a primeira parcela e no dia seguinte já pude cantar no chuveiro novamente.
Agora eles vão conhecer a minha fúria.
Me aguardem!

:-)
|